Monitoramento Ambiental

Programa de Monitoramento Ambiental

O Programa de Monitoramento Ambiental do Porto de São Sebastião é um amplo e complexo programa que abrange as instalações e o entorno do porto, incluindo o Canal de São Sebastião, a Enseada do Araçá e trechos da cidade. Ele é parte integrante do Plano de Desenvolvimento e Zoneamento aprovado em 2009.

Ambientes como córregos, manguezais, costões rochosos e praias são monitorados por meio de estudos das aves, da vegetação, das águas, dos peixes e outros organismos aquáticos. Todo o conjunto de dados gerados ao longo do monitoramento dá suporte para a avaliação da qualidade ambiental da região, subsidiando melhorias na gestão ambiental portuária.

A condução das coletas, análises e elaboração dos relatórios técnicos, é executada por uma equipe de profissionais altamente qualificados e especializados em suas áreas de atuação, com amplo histórico e conhecimentos das características ambientais do Canal de São Sebastião.

Convidamos você a conhecer os planos e programas ambientais desenvolvidos até o momento, reunidos em subgrupos e detalhados a seguir.

Monitoramento da Biota Aquática

O Programa de Monitoramento da Biota Aquática prevê várias avaliações dos principais seres vivos que são encontrados na região do Canal de São Sebastião e Enseada do Araçá.

O objetivo desses monitoramentos é conhecer e descrever os seres vivos dessa área e descobrir como eles vivem e qual a influência das atividades portuárias sobre eles. Para isso, são avaliados em alguns monitoramentos: a quantidade de espécies no local, a presença de espécies que podem vir de outras regiões com os navios (espécies exóticas) e se há contaminação nos animais coletados, como peixes e mexilhões.

Também contempla ensaios de bioacumulação para identificar a presença de compostos químicos nos tecidos biológicos de peixes, crustáceos e moluscos, conforme detalhado no monitoramento de organismos bioindicadores. O Programa de Monitoramento da Biota Aquática é composto pelos seguintes monitoramentos:

Com isso, é possível propor ações que garantam a qualidade ambiental e minimizem quaisquer possíveis impactos.

O Programa de Monitoramento da Biota Aquática é composto pelos seguintes monitoramentos:

000213Esse monitoramento avalia os seres vivos que habitam a coluna d’água e o fundo do canal de São Sebastião e na entrada da Baía do Araçá. São realizados “arrastos de fundo” para capturar os animais que vivem ali, como peixes, siris, caranguejos, ermitões, estrelas-do-mar, entre outros. Com esse monitoramento é possível descrever as espécies presentes, a quantidade de seres de cada espécie e identificar mudanças desses padrões ao longo do ano.

Algumas espécies são selecionadas para estudos de contaminação. As espécies escolhidas devem viver no fundo ou se alimentar de animais que vivem no fundo. Assim, elas podem ajudar a indicar se há algum tipo de substância contaminante na areia ou lama. Nesse caso, os animais são capturados e partes de seus corpos são analisadas para identificar a presença de substâncias poluentes, como cobre, mercúrio e chumbo.

Esse monitoramento ocorre a cada seis meses em cada um dos 5 pontos de coleta.

000214O plâncton é um grupo de seres vivos, muito pequenos na sua maioria, que vivem a deriva na correnteza d’água. Mesmo quanto eles tem movimentos próprios, eles não tem a capacidade de escolher para onde nadam. Eles são muito importantes, porque são alimento para muitos outros seres vivos, fornecendo energia para esses animais. As algas minúsculas que fazem parte plâncton são chamadas de fitoplâncton e também são responsáveis pela produção de oxigênio, como as plantas. Os animais que fazem parte do plâncton, como larvas de peixes e de caranguejos, são chamados de “zooplâncton”.

O monitoramento desses organismos ocorre a cada 3 meses. O objetivo desse monitoramento é entender se existem mudanças nas espécies de acordo com a estação do ano e devido à ação do Porto de São Sebastião por meio da avaliação da quantidade desses seres ali e das espécies que estão presentes.

000216Os organismos que vivem associados com a areia ou lama do fundo e com as rochas da costeira são chamados de seres bentônicos. Alguns os seres encontrados nessa região são mexilhões, ostras, algas e caranguejos.

Para o monitoramento desses seres, são realizadas coletas no fundo do canal de São Sebastião e Baía do Araçá, nos costões rochosos da região e nos pilares dos berços de atracação do cais do Porto.

O objetivo desse monitoramento é entender se existem mudanças nas espécies de acordo com a estação do ano e devido à ação do Porto de São Sebastião por meio da avaliação da quantidade desses seres e das espécies que estão presentes. Além disso, esse monitoramento prevê identificar a presença de espécies que não típica dessa região e que podem ter sido trazidas pelos navios, as chamadas “espécies exóticas”.

O monitoramento desses organismos ocorrem a cada 3 meses. Em cada local a coleta é feita de um jeito diferente, de acordo com a necessidade do local, como raspagem no costão rochoso ou draga manual no fundo do canal. Todos os seres coletados são identificados e contados.

000215Um dos tipos de animal bioindicador é aquele que pode acumular no seu corpo algum tipo de poluente. Como existem animais marinhos que servem de alimento para pessoas em São Sebastião é importante saber se esses seres apresentam alguma substância prejudicial em seu corpo. Esse monitoramento busca atestar a qualidade dos frutos do mar da região de atuação do Porto. Para isso, são feitas análises nos berbigões coletados na Baía do Araçá, já que esse animal é consumido pelas pessoas dali.

A coleta desses animais é feita a cada seis meses. Eles são coletados tanto manualmente na Baía do Araçá e por meio de rede de arrasto no Canal de São Sebastião e também na Baía do Araçá.

Monitoramento Biológico do Entorno do Porto

O Monitoramento de Manguezais no Entorno do Porto é feito na Baía do Araçá e nas imediações da balsa. Esse monitoramento verifica as condições ambientais da floresta de mangue (espécies presentes, árvores vivas e mortas e crescimento das árvores, por exemplo) e identificar se há influência das atividades portuárias sobre esse importante ecossistema.

Dessa forma, será possível pensar em formas de preservar esse importante ambiente.

Esse monitoramento ocorre a cada seis meses.

O plâncton é um grupo de seres vivos, muito pequenos na sua maioria, que vivem a deriva na correnteza d’água. Mesmo quanto eles tem movimentos próprios, eles não tem a capacidade de escolher para onde nadam. Eles são muito importantes, porque são alimento para muitos outros seres vivos, fornecendo energia para esses animais. As algas minúsculas que fazem parte plâncton são chamadas de fitoplâncton e também são responsáveis pela produção de oxigênio, como as plantas. Os animais que fazem parte do plâncton, como larvas de peixes e de caranguejos, são chamados de “zooplâncton”.

O monitoramento desses organismos ocorre a cada 3 meses. O objetivo desse monitoramento é entender se existem mudanças nas espécies de acordo com a estação do ano e devido à ação do Porto de São Sebastião por meio da avaliação da quantidade desses seres ali e das espécies que estão presentes.

Monitoramento de Efluentes

Além do esgoto comum gerado no porto e coletado pela rede de esgoto municipal, o Porto de São Sebastião não gera outro tipo de efluente direto. Dessa forma, O Monitoramento de Efluentes tem como o foco das análises a água de chuva que escoa pela área do Porto e são captadas pelo sistema de drenagem.

Assim, o principal objetivo do programa é monitorar e avaliar as características físicas, químicas e biológicas da água de drenagem da área portuária, bem como verificar a eficiência do mecanismo de separação de água, óleo e sedimentos.

As coletas ocorrem a cada três meses e são efetuadas nos cinco pontos de lançamento do sistema de drenagem, sempre após a ocorrência de chuvas.

Monitoramento da Qualidade da água Marinha

000225

O programa de Monitoramento da Qualidade da água Marinha na área de entorno do Porto é realizado em pontos dentro do canal de São Sebastião e nos Córregos do Outeiro e Mãe Isabel. Todos incluem, quando viável, coletas de água na superfície, meio e fundo da coluna d’água.

As coletas ocorrem a cada três meses, onde são analisados os principais parâmetros físicos, químicos e biológicos correspondentes ao ponto de coleta.

Monitoramento da Qualidade dos Sedimentos

O Plano de Monitoramento de sedimentos tem o objetivo avaliar as características dos sedimentos na área de influência do Porto Público de São Sebastião.
O sedimento tem grande importância em ambientes aquáticos. Várias substâncias podem ficar armazenadas na lama ou na areia. No sedimento também se encontram nutrientes que são podem ser disponibilizados para a água servindo, de alimento para vários organismos.

Em regiões portuárias os sedimentos podem ser removidos pela dragagem, liberando poluentes químicos que estavam enterrados. Por isso o monitoramento do sedimento é tão importante.

No caso do Porto de São Sebastião a dragagem não é feita com tanta freqüência, pois naturalmente o canal de navegação já é fundo o suficiente. No entanto, quando essa atividade for ocorrer, é fundamental que se entenda as características do local de dragagem.

Esse monitoramento é feito a cada 3 meses e é efetuado em 5 pontos do canal de navegação. Nessas amostras são verificadas características físicas, químicas e biológicas, como salinidade e temperatura.

Monitoramento e Controle de Ruídos

O Monitoramento e Controle de Ruídos captam e avaliam os sons e ruídos emitidos em alguns pontos ao redor da área o do porto, para poder determinar se essas emissões são das atividades portuárias e/ou se causam incômodos à vizinhança.

Esse monitoramento ocorre duas vezes por ano, em três locais.

Monitoramento de Solo e água Subterrânea

000230Existem dentro da área do porto de São Sebastião, 17 poços de monitoramento de águas subterrâneas. Destes poços, são coletadas amostras de água para análise de parâmetros como a quantidade de sais, acidez, presença de poluentes e/ou contaminantes que possam ter infiltrado pelo solo.

Monitorar esses parâmetros é fundamental para subsidiar ações de controle para possíveis impactos ambientais que possam ser gerados devido às atividades portuárias.

Esse monitoramento ocorre a cada três meses.

adminMonitoramento Ambiental